LAB INOVAÇÃO E SOLUÇÕES SUSTENTÁVEIS PARA O SEMIÁRIDO

11/01/2022

Projeto Hidrosinergia lança Laboratório Colaborativo de Inovação e Soluções Sustentáveis para o Semiárido com oficina para discutir a Regeneração hidroambiental da Bacia do São Francisco

Interligar conhecimentos multidisciplinares, criar modelos sustentáveis adequados a qualquer lugar ou bioma a partir de laboratórios integradores de práticas de excelência, unindo cientistas, empreendedores, gestores públicos, líderes inovadores das mais diversas áreas e representantes da sociedade, é o que pretende o Laboratório Colaborativo de Soluções Sustentáveis para o Semiárido, iniciativa lançada pelo HidroSinergia, durante evento em dezembro de 2021.

A Regeneração Hidroambiental da Bacia do São Francisco foi tema da 1a Oficina de Inovações que reuniu representantes de seis instituições ligadas ao Velho Chico. O objetivo do encontro – que aconteceu via plataforma online, no dia 06 de dezembro de 2021- foi discutir a criação de políticas interconectadas que impulsionem as cadeias econômicas sustentáveis para regenerar o São Francisco, além de iniciativas para gerar emprego e reduzir desigualdades. O tema da próxima Oficina de Inovação – que acontece ainda no primeiro trimestre de 2022 – será a Expansão Sustentável das Fontes Renováveis no Nordeste. 

“Estamos com um desafio urgente de regenerar os ecossistemas e precisamos de muita inovação e formas colaborativas para acelerar a reversão do cenário. Nesse contexto, o Hidrosinergia está criando Laboratórios de Inovação e Aceleração de Soluções Sustentáveis para o Semiárido. O tempo se esgotou, precisamos agir aqui e agora”, alerta Sérgio Xavier, coordenador do Projeto HidroSinergia e articulador político do Centro Brasil no Clima (CBC).

O Rio São Francisco tem papel fundamental no abastecimento de água para irrigação, consumo humano, geração de energia, turismo e pesca, mas as projeções para os reservatórios da Bacia Hidrográfica do São Francisco não são animadoras.

As oficinas dedicadas à Bacia do São Francisco  terão como temas centrais a crise hidroenergética, a flexibilização da regra de operação dos reservatórios no Rio São Francisco e os impactos para a bacia e seus múltiplos usuários. A primeira oficina trouxe o olhar para o Baixo São Francisco e discutiu a flexibilização da operação dos reservatórios e seus impactos sobre os usos múltiplos. Além desta, acontecerão outras três para tratar do Alto, Médio, Sub-médio São Francisco.

A 1a Oficina contou com a participação do presidente da CBHSF, José Maciel, da especialista em meio ambiente e recursos hídricos da SEMA/BA, da superintendente de Meio Ambiente da SEMARH/AL, Larissa Cayres, Fabiana Couto, do  gerente de projetos da Agência na BHSF pela Agência Peixe Vivo, Thiago Campos e do  professor na UFAL e coordenador dos programas de expedições científicas e de biomonitoramento no Baixo SF,  Emerson Soares, além dos especialistas do Centro Brasil no Clima, Guilherme Lima, Carmynie Xavier e Juliana Lima.

Para cada oficina será elaborado um relatório com as discussões realizadas, de modo que todas as contribuições trazidas pelos participantes possam ser utilizadas para as propostas de ações práticas do Laboratório, assim como para que possam ser levadas para as instâncias de discussão superiores, como o Secretariado Executivo da iniciativa Governadores pelo Clima formado por representantes dos estados do Semiárido.